terça-feira, 5 de maio de 2009

* Apareceu a Margarida! Espetáculo na 5ª Temporada!


CIA TEATROFÍDICO
e
PROJETO USINA DAS ARTES
apresentam
APARECEU A MARGARIDA
de
Roberto Athayde

5ª TEMPORADA DE SUCESSO DE 02 A 31/05/SALA 302/USINA DO GASÔMETRO/20H


BIOGRAFIA


Roberto Athayde,estuda composição musical na Universidade de Michigan, nos Estados Unidos. Em 1973, aos 23 anos, surge de modo fulminante no panorama teatral com o monólogo Apareceu a Margarida, interpretado por Marília Pêra e com direção de Aderbal Freire Filho (Aderbal Jr.). A imagem da tirânica professora que usa um amplo leque de recursos, desde a sedução e a chantagem, passando pela demagogia, até a repressão aberta, para maltratar a sua turma de alunos e envolvê-los no seu universo de desvario, fornece uma metáfora de impacto para representar criticamente a insidiosa violência da ditadura, então instalada no país. Mas a peça sustenta-se independente da leitura política, e nem se pode afirmar que tenha sido escrita com vistas a esse tipo de interpretação, que é priorizada com maior ênfase na remontagem de 1978, também dirigida por Aderbal Freire Filho, e com Marília Pêra no papel de Dona Margarida. "A virulência do humor revelado pelo jovem autor não encontra paralelo nos palcos da época; e o clima do absurdo que caracteriza o delírio autoritário da protagonista confere à peça um real fascínio".

1 Desde então, Apareceu a Margarida torna-se uma das peças nacionais mais representadas no país, com um número incontável de encenações, como também montagens representativas no exterior.Outros textos de Roberto Athayde são encenados, embora sem o mesmo destaque. Um Visitante do Alto - uma anedota de ficção científica - e Manual de Sobrevivência na Selva - uma tentativa de reflexão existencial a partir do enfoque de quatro sobreviventes de um desastre de avião perdidos na Floresta Amazônica - integram, em 1974, uma experiência de teatro de repertório de um grupo criado por Aderbal Freire Filho, o Grêmio Dramático Brasileiro. Os Desinibidos, uma visão crítica da psicanálise, novamente parceria entre Athayde e Aderbal Freire Filho, é montado em 1983. O próprio autor dirige, em 1984, Crime e Impunidade, que ele define como uma "tragicomédia de costumes". No Fundo do Sítio, um insólito diálogo entre duas pessoas que foram amigas na infância e se reencontram quarenta anos depois, tem uma montagem em Londres, em 1976. O universo, próximo do teatro do absurdo, mas caracterizado por uma ambigüidade que não assume as reais características desse gênero teatral, aparece particularmente nítido nesse texto, mas está também presente nas outras obras do autor.

Roberto Athayde tem alguns textos inéditos:

O Reacionário, 1971;

A Viagem ao Oriente, 1984;

Carlota Rainha, 1994;

A Arquiteta e o Rei do Ladrilho, 1988;

Os Quatro Pilares da Decência, 1991;

Dom Miguel, Rei de Portugal, 1998;

A Grande Visita, 2000, além de outros escritos em inglês. Em 1986 faz a adaptação de O Mistério de Irma Vap, de Charles Ludlam, para a montagem de Marília Pêra, interpretada por Marco Nanini e Ney Latorraca, que se transforma num grande êxito de bilheteria. Publica volumes de contos e poemas. Desde o sucesso de Apareceu a Margarida, passa boa parte do tempo fora do Brasil. Nessas viagens, faz breves experiências como ator em Roma e Nova York, cidade onde também dirige, em 1978, no centro experimental La MaMa, uma versão de Reveillon, de Flávio Márcio.


Renato Del Campão, autor – igualmente , ator e diretor teatral, artista local e profissional reconhecido há 30 anos no mercado artístico-cultural , detentor de alguns prêmios significativos e inúmeras vezes indicado – principalmente à categoria Melhor Ator/Troféu Açorianos – celebra sua maturidade artística com seu primeiro monólogo, um texto ácido – que não é de sua autoria – mas ao seu gosto e suficientemente genial, assistido por gerações e revisitado pela ótica do também diretor Eduardo Kraemer (orientador cênico da CIA TEATROFÍDICO, detentora de seis títulos em seu curriculo e, que mais recentemente, realizou uma adaptação ao lado DEL CAMPÃO, O ANJO EXTERMINADOR, de Luis Buñuel ).
Sob forma de monólogo, retrata um dia na sala de aula da professora Dnª Margarida, narrando fatos da vida a alunos pré-adolescentes. Apresentada de forma tragicômica, mesclando o real e o imaginário, a peça critica a política e o comportamento – inclusive do panorama atual – envolvendo a platéia, que torna-se parte da peça como se fossem alunos e a professora expressa as suas opiniões através das disciplinas curriculares de forma alegórica e, ao mesmo tempo, autoritária.

RENATO DEL CAMPÃO FOI INDICADO AO TROFÉU AÇORIANOS 2008 DE MELHOR ATOR
SERVIÇO :
o que ? APARECEU A MARGARIDA
quando ? de 02 a 31 de maio de 2008 , as 20H
onde ? sala 302 ( terceiro andar ) da USINA DO GASÔMETRO
temporada ? sábados e domingos
ingresso ? R$15,00 (inteiro) R$7,00(estudantes, idosos, classe artística)
FICHA TÉCNICA :
Autor – ROBERTO ATHAYDE
Atuação – RENATO DEL CAMPÃO ( Dona Margarida ) e JAIRO KLEIN( aluno)
Direção, Cenografia , Iluminação e Sonoplastia – EDUARDO KRAEMER
Figurinos – ANTONIO RABADAN e CURSO DE DESIGN DE MODA E TECNOLOGIA DA FEEVALE
Realização – CIA TEATROFÍDICO
DIVULGAÇÃO:96568341/99829283/
edu.kraemer@gmail.com/rcampão@bol.com.br-- EDUARDO KRAEMERCIA TEATROFÍDICO