terça-feira, 26 de julho de 2011

* PV Palmares publicou jornal mal escrito sem bases culturais




O PARTIDO VERDE PUBLICOU JORNAL MAL ESCRITO SEM BASES ANTROPOLÓGICAS AO FALAR SOBRE CULTURA:

Um jornal mal escrito repleto de crassos erros ortográficos do PV de Palmares lançado recentemente. Nele publicaram artigo que pergunta “Palmares: Terra de Cultura?”.


No título vemos um ataque ás tradições e atuais ações culturais e inicia assim a falta de bases antropológicas ao transparecer claramente a ironia.
Quem escreveu disse: “Penso que de nada adianta investir tempo pintando, ensaiando peças teatrais ou shows musicais. Preparando vídeos ou sei lá o que, se não temos como tornar tais trabalhos acessíveis ao público.”...
E por aí continuam os absurdos num jornal que deveria encorajar a produção artística e não afirmar algo grotesco.


Se quem escreveu acha que não adianta investir tempo com produção artística e não há meios do povo ter acesso, eu convido para aprender comigo e com o GRUCALP como criamos e resistimos.
Nos piores momentos da História Humana, os artistas, sob as botas da repressão, não pararam de produzir. Não é um jornaleco mal escrito de um PV desbotado que vai desencorajar quem ama a nossa cultura.


O mais absurdo foi expresso mais adiante na frase mais absurda escrita naquela publicação eleitoreira ao criticar a falta de incentivos governamentais locais para o movimento artístico:
“...A cultura de Palmares estar a muito tempo sem direção, sem acontecimentos.” (copiei como está escrita a frase absurda além de atentado ao idioma português).

Sabemos pela luz científica antropológica que “Cultura é a totalidade de vida de um povo”. Sendo assim, nunca a cultura está sem direção, visto que a sociedade é dinâmica.

Quando o artigo abordou a “falta de orientação, objetivo e prioridade da atual gestão que promove o caos na cultura que precisa de atenção”, eu pergunto:
- Quando houve prioridade de gestão governamental em Palmares para com o Movimento Cultural? Somente nos primórdios da História de Criação e início do nosso Município, quando o Clube Literário compôs o Conselho Municipal e literatos ocupavam cadeiras da Câmara de Vereadores.
Ficou vazia a afirmação de que o governo promove o caos na cultura porque não citou como nos eventos de rua a Fundação Casa da Cultura Hermilo Borba Filho invade Palmares com bandas e trios elétricos executando músicas baianas e de outros rincões, sem incentivar o culto das expressões regionais (algo que qualquer equipe de marketing político pratica, se tiver condições financeiras para dar o lixo subcultural de fácil absorção para um povo frágil nas bases educacionais; sendo assim fácil de ser enrolado pelos politiqueiros). Não citaram fielmente a nossa realidade numa denúncia forte simplesmente por medo da opinião popular influenciada pela Mídia, e isso poderia atrair a antipatia do eleitorado ávido por folias da moda.

A Cultura não morre se o povo está vivo!

Cultura é feita pelo povo, mesmo se o governo podar espaços. Por exemplo, nunca faltou espaço para mim e o GRUCALP porque sempre criamos nossos espaços e fizemos espetáculos e eventos nas calçadas, nas ruas e praças.
Dizer que a cultura está sem acontecimentos é outro absurdo. Se abordaram no sentido de falta de eventos promovidos pelo Governo Municipal, não ficou bem expresso no artigo. Mais erros de redação ou falta de informações científicas sociais antropológicas de quem escreveu. E mesmo assim generalizou.

Se o vocábulo "acontecimentos" refere ao termo "eventos", houve muita coisa mesmo sem apoio governamental e o próprio governo promoveu "a cultura no padrão dele", durante eventos e atitudes próprias como sempre agem os detentores do poder.

Ora, falando em eventos sem apoio do Governo Municipal dos Palmares, basta observar o surgimento de Orquestas, grupos musicais, o Centro Cultural Gregório Bezerra criado pelo músico e poeta ator Antonio de Castro. E ir ver o blog do nosso Ponto de Cultura http://ponto-de-cultura-grucalp.blogspot.com/ porque o que foi realizado (festival de música, concerto com um exímio violinista maestro de apenas 18 anos executando obras num autêntico violino Stradivarius, cursos, exposições, oficinas, exibições de filmes gratuitamente) não teve participação do Governo Municipal. O que não é novidade.




Eu e o GRUCALP nada faremos se esperarmos repasses das verbas que são nosso direito como cidadãos e como entidade cultural nas vésperas de meio século de lutas (ONG reconhecida de Utilidade Pública que não obtém o respeito com os devidos repasses de verbas, pois há anos nada recebe do Município).
Mesmo sem apoios de governos surgem empreendimentos na sociedade. E isso apenas fortalece as lutas populares. São exemplos do dinamismo social e formas de organização para cobrar as ações dos governos.

Tem uma afirmação lá no jornal, ainda na citada mal elaborada alusão à decadência cultural palmarense que diz: “... Como justificar na Terra dos Poetas, não termos uma casa em memória de Ascenso Ferreira, o abandono da casa do Alto do Inglês e de não ter uma biblioteca específica à cultura do município, para exposições e eventos, e sem falar da casa onde nasceu Hermilo Borba Filho, que será demolida pelos homens.”
Ora, que homens destruirão a casa de Hermilo? O Partido Verde além de se omitir a tomar posicionamentos a favor da preservação dos ecoparques de Serro Azul e arredores, tem medo de citar que um projeto de barragem do Governo do Estado destruirá o casarão do Engenho Verde! Mas há quem tenha coragem de defender tudo isso sem ser do PV. Eis o blog: http://sosriouna-e-ecoparques.blogspot.com/
Este um grande motivo de não me filiar a esse PV desclorofilado!

No final da Matéria, o redator pergunta:
“Você artista estar satisfeito com a administração da Cultura Palmarense? Eu, particularmente não acredito que esta seja a nossa cultura. E você? Acredita?”
Absurdo sobre absurdos! Se cultura é a totalidade de vida de um povo, com certeza essa a nossa cultura porque vivemos na sociedade que a produz sob a tutela do poder plutocrata impingindo valores capitalistas. Se quisermos mudar o quadro sócio político isso é outro assunto bem diferente!




Mudança cultural inicia com os ditos "políticos" se educando. A maioria que se mete na política não tem educação política! Os Partidos não têm escolas de formação política e de preparo de futuros legisladores e assim promovem os barbarismos nas Casas Legislativas!


Mudança cultural se consegue somente com Educação e total renovação e reforma do quadro político! Senão será sempre uma sequencia de erros.



Sobre a administração da Cultura Palmarense, não é pergunta se coadune. Totalmente desconexa. Ninguém administra a cultura de um povo. Existem apenas gerenciadores de espaços públicos e se eles não são bem administrados não quer dizer que a Cultura é mal administrada. Muito errado resumir a Cultura de um povo numa simples Fundação falida que nunca funcionou como devia ou numa inexistente Secretaria de Cultura Municipal.


Os pólos produtores culturais são bases populares. Esse querer vincular tudo ao Governo é intenção geral política para depois se qualquer facção chegar ao poder, agregar tudo sob a tutela governamental para um controle social (ou ter reféns sociais através de cooptações de lideranças, impedindo assim o livre progresso das forças populares).
Digo isso porque nenhum administrador público administrou os espaços onde persisto nas lutas herdadas do meu pai. E nenhum administrará empreendimentos culturais que lidero ou empreendo.

É bom criticar. Necessária existência de oposição. Mas façam baseados em coisas concretas, documentadas e responsáveis. O jornal perdeu credibilidade pela mal elaboração e descaminhas dos escritos (erro que se repetiu pela péssima assessoria do PV Palmares, como em vésperas eleitorais anteriores).

Jaorish Gomes Teles da Silva
Escritor, Diretor de Teatro, ator, Técnico de Palco e ativista ambiental.
http://www.jaorish.uni7.net/

* Nota de esclarecimento






O Partido Verde (PV) de Palmares - PE publicou um jornal distribuído gratuitamente que tem uma pequena nota biográfica sobre Painho (Telles Júnior http://www.tellesjunior.xpg.com.br/ ). Ao ver aquela nota, algumas pessoas me abordaram na rua perguntando se ele era filiado áquele Partido ou se eu sou filiado. Perguntando ...também se eu escrevi o Artigo.
Esclareço que aquilo foi uma compilação do site de Painho. O amigo médico e político Dr. Benjamim Braga Pires solicitou via bate papo do facebook dados sobre o artista e eu indiquei o site. E pediu autorização para homenagear Painho, eu autorizei, dizendo que ele poderia copiar informações do site. Assim o fez, também conseguindo a foto de Telles Júnior colocada no jornal.
Aproveito a oportunidade para agradecer ao amigo e aos Membros do PV de Palmares - PE essa homenagem. E aqui deixo minha crítica também: Quando eu autorizei copiar dados do site, pedi para citar a fonte (ou seja, o site) e divulgar os problemas que o Museu Telles Júnior (foto ao lado) enfrenta e o Centro Cultural do GRUCALP que na época estava com uma exposição sobre o artista. E isso não foi feito. Portanto, o PV deve isso e aqui cobro!

Sobre a filiação de Telles Júnior e a minha àquele Partido, não tem fundamentos. Telles Júnior não foi Membro do PV. Ele na juventude participou as lutas do PTB em prol Getúlio Vargas, foi revolucionário nos anos 30 em prol do Trabalhismo. E o último Partido que ele se filiou junto com minha mãe e toda a família, em 1994, foi o PSB, em prol Arraes e pela eleição de Francisco de Assis Rodrigues, o popular Chiquinho que teve 3 mandatos como Prefeito após ser Vice de Luiz Portela de Carvalho (construtor social e político que Telles Júnior acompanhou em todas as lutas e resistências contra a Ditadura Militar, além de ser Padrinho de Casamento dos meus pais e meu Padrinho de Batismo Cristão).

Sobre a minha filiação ao PV não tem fundamento. Se empreendo ações ecológicas e preservacionistas ambientais, não quer dizer que me identifico com essa Partido, principalmente diante dos posicionamentos dos dirigentes em Pernambuco que transformaram tal facção política num Verde desclorofilado. E não me ligo à facções que claramente se mostram "de aluguel" ou que apenas servem de legenda eleitoral. Partido tem que agir mesmo sem ser época de eleição. E em Palmares principalmente esse Partido não tem ação que me atraia (tantos problemas na região e os Membros não são de ações ambientais nem ecologistas), mesmo diante dos esforços do amigo médico citado, em cujas mãos está o PV, tentar me agradar.
Minha militância nos anos 90 foi na Juventude Socialista. Mas depois deixei claro com o que escrevi no meu site sobre Partidos: "Se Partido fosse bom não seria partido, seria inteiro!".
Atualmente expresso minha ideologia política: AHIMSA, como tem no meu profile do Facebook.

Creio que esta nota de esclarecimento tira a dúvida dos curiosos.


Jaorish Gomes Teles da Silva
Escritor, Diretor de Teatro, ator, Técnico de Palco e ativista ambiental.
www.jaorish.uni7.net

quinta-feira, 21 de julho de 2011

* Proteja sua casa dos fungos durante o período de chuva

Basta uma semana de chuva para eles invadirem a casa. Sem pedir licença, se apoderam dos móveis, roupas, sapatos, livros e outros objetos pessoais. Além do mau cheiro e aparência estranha, também podem provocar alergias e doenças respiratórias. Esses visitantes inconvenientes são os fungos, micro-organismos mais conhecidos como mofo ou bolor.

De acordo com a professora Rejane Pereira, chefe do Departamento de Micologia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), tempo frio e ambiente fechado é uma combinação perfeita para os fungos, que se aproveitam dessas condições para se desenvolverem. "Durante o inverno, por conta das chuvas, as pessoas costumam deixar as janelas fechadas. Além da umidade, a falta de ventilação e luminosidade contribui para a proliferação desse micro-organismos", explica a professora.

A professora Rejane Pereira destaca que a prevenção é a melhor arma contra os fungos
Os fungos mais comuns são denominados de aspergillus (cor escura), penicillium e fusarium (cor rosada). De acordo com Rejane Pereira, os fungos podem provocar reações alérgicas como rinite, lacrimejação nos olhos, espirros e erupções na pele. São reações comuns, sem gravidade, mas nada confortáveis.

No entanto, para as pessoas com baixa imunidade ou que já estão com algum tipo de doença respiratória (como tuberculose e câncer de pulmão), os fungos são grandes inimigos. "O contato dessas pessoas com esses micro-organismos podem desenvolver micoses oportunistas. Os consequências mais graves são a perda do órgão, infecções generalizadas e disseminação pela corrente sanguínea podendo atingir, inclusive, áreas do cérebro", explica especialista.
 

Os fungos mais comuns são os aspergillus, penicillium e fusarium

Para quem acha que os fungos são "invencivéis" durante o inverno, a professora explica que o problema tem solução, como o uso de vinagre branco ou hipoclorito de sódio (água sanitária) misturados em água.

Mas vale lebrar que a prevenção é a melhor arma contra o mofo. Em relação aos fungos que proliferam em paredes, uma sugestão é optar pela aplicação de tintas impermeabilizantes antimofo. "Hoje no mercado também existe argamassa antimofo para rejuntar azulejos. Você paga um pouco a mais, mas protege a saúde. Outra questão que a gente não pode esquecer é ter cuidado com os vazamentos e infiltrações", explica a professora.




quarta-feira, 20 de julho de 2011

* O silencioso ataque do Poder Judiciário

É preciso muita unidade para enfrentar uma correlação de forças desfavorável no Congresso Nacional e um Poder Judiciário fortemente influenciado pelo pensamento neoliberal

O Poder Judiciário, desde o início da década de 1990, vem praticando ataque silencioso aos poucos avanços trabalhistas e sindicais obtidos na Constituição Federal de 1988. Recentemente, ao reavaliar suas Súmulas de Jurisprudência, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) desferiu um golpe mortal na estabilidade dos dirigentes sindicais. Restaurando um velho artigo da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), que até mesmo os editores consideravam ter sido revogado pela Constituição em 1988, os ministros do TST cristalizaram o entendimento de que somente 7 diretores do sindicato e seus respectivos suplentes, são portadores de estabilidade provisória.

É um duro golpe na organização da classe trabalhadora. Com o advento da Constituição Federal afirmando que: “é livre a associação profissional ou sindical”, a imensa maioria das entidades sindicais alterou seus estatutos, estabelecendo um número de diretores compatíveis com as necessidades da categoria. Os sindicatos que foram criados, desde então, tinham plena certeza que o limite de 7 diretores constante na CLT havia sido revogado.

Os ministros do TST, através da Súmula nº 369, restauram e aprofundam a parte ruim do modelo da CLT, que foi parcialmente abandonado com a Constituição Federal de 1988, mas se recusam a declarar essa intenção.

Ora, como é possível um dirigente sindical lutar por sua categoria se poderá ser injustamente despedido a qualquer momento?

Até 1967, os trabalhadores que permanecessem mais de 10 anos trabalhando na mesma empresa, adquiriam a estabilidade no emprego. Acabar com essa conquista era uma exigência das transnacionais e de todo o patronato que apoiou o golpe de 1964. Surgiu, então, a hipocrisia da “opção” pelo Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Ao ser contratado, o empregado podia “optar” pela estabilidade ou pelo FGTS e o patrão “optava” em contratá-lo ou deixá-lo à míngua, passando fome.

Com a eleição para a Assembleia Nacional Constituinte, a bandeira da estabilidade ganhou força. E foi preciso uma articulação dos parlamentares mais conservadores e patronais, chamada de “centrão” para impedir que fosse aprovada. Foi um intenso confronto. O resultado foi a aprovação de um “consolo” provisório. O artigo 7º, Inciso I, da Constituição Federal fala em “direito à relação de emprego protegida contra dispensa arbitrária ou sem justa causa, nos termos da lei”. Porém, com a manobra do “centrão”, até que o Congresso Nacional resolva regulamentar esse direito, basta o patrão pagar uma multa de 40% sobre o FGTS e poderá demitir quem desejar, com baixíssimo custo.

Embora tenham surgidos inúmeros projetos de lei, desde então, o Congresso Nacional vinha se recusando a regulamentar um direito que só interessa para a classe trabalhadora. Nos últimos anos, diversos sindicatos ingressaram com o chamado “Mandado de Injunção” para que o Supremo Tribunal Federal determine a regulamentação do direito.

Apenas começaram os debates entre os ministros do STF e o patronato já iniciou sua gritaria, pressionando os parlamentares para que aprovem uma lei que esvazie o direito à estabilidade.

Neste momento, em que as lutas sindicais retomam em todo o pais, em que crescem o número de greves e a força do movimento sindical, retomar a bandeira da estabilidade no emprego é urgente. Não podemos permitir que fraudem o direito a proteção ao emprego que conquistamos na Constituição Federal.

Com maior urgência ainda, precisamos garantir a estabilidade dos dirigentes sindicais ultrapassando o limite absurdo de 7 diretores, como pretende o TST.

Isso, sem falar na estabilidade dos delegados sindicais de empresa, que até hoje não foi regulamentada, e que a Justiça entende inexistir.

A retomada da capacidade de luta do movimento sindical se enfrenta com uma nova blindagem jurídica, silenciosamente construída nos últimos anos. Através de leis, regulamentos e interpretações jurídicas, o pensamento conservador aproveitou-se dos anos de ofensiva neoliberal para esvaziar conquistas que a classe trabalhadora obteve num período de ascenso de suas lutas.

Se as centrais sindicais não perceberem a importância desta pauta, não compreenderem que será necessário ultrapassar suas disputas internas para gerar força social, enfrentaremos o risco de perder uma grande oportunidade histórica.

Não basta que cada uma, isoladamente, contemple essas bandeiras e se mobilize. É preciso muita unidade para enfrentar uma correlação de forças desfavorável no Congresso Nacional e um Poder Judiciário fortemente influenciado pelo pensamento neoliberal.

Fonte: Brasil de Fato

* Quanto custa o aquecimento global?

Muito mais que governos pensam, afirma estudo


Um novo estudo sugere que os custos sociais das emissões de carbono podem ser drasticamente mais altos que o estimado por agências governamentais. A maioria as pessoas têm percepção de que está ocorrendo um aquecimento global, mas é difícil apontar come exatidão que efeitos isto vai ter no futuro do mundo. Os governos começaram a abordar a mudança do clima como uma situação para avaliar análises de custo/benefício: Quanto devemos gastar para consertar o problema? E quando vamos gastar se não fizermos nada?


Os Estados Unidos começaram a regular emissões de carbono desde a criação da Lei do Ar Limpo, em 1963 - ela foi consideravelmente emendada em 1970, 1977 e 1990. O país calculou o dano econômico de uma tonelada de carbono através de um grupo de trabalho composto de diversas agências oficiais (Interagency Working Group). A estimativa foi de que o custo era de apenas U$ 21, ou apenas de 21 centavos de dólar por galão de gasolina.

Este preço é muiito semelhante ao encontrado pelo governo australiano, que fez uma avaliação das 500 maiores empresas poluidoras do país que terão de pagar por isso a partir de julho de 2012. "Estes poluidores agora sabem quanto terão de pagar, a menos que cortem suas emissões", disse a primeira-ministra Julia Gillard no começo deste mês. "Até 2020, nossa precificação do carbono vai tirar 160 milhões de toneladas métricas de poluição da atmosfera por ano. Isto equivale a tirar 45 milhões de carros das ruas".

Um novo estudo científico, "Riscos do Clima e Preços do Carbono: Revisando o Custo Social do Carbono", dos economistas Frank Ackerman, da Universidade Tufts, e Elizabeth A. Stanton, do Instituto Ambiental de Estocolmo, sugere que o custo verdadeiro do carbono é provavelmente muito mais alto que o estimado pelos governos. O relatório foi publicado pela E3 Network (Economics for Equity & Environment), “uma rede nacional de economistas que desenvolvem novos argumentos para a proteção ativa da saúde humana e do ambiente". Os autores dizem sobre o custo de U$ 21 por toneladas: "É difícil conciliar um custo tão baixo com a crença de que é urgente agir no caso de riscos sérios do clima". Mas quanto custa? Em vez de começar do zero, os autores usaram os mesmos modelos do grupo de trabalho do governo. E refinaram os dados apenas no caso de "grandes incertezas".

As incertezas, no caso, são duas: primeiro, uma estimativa tem de levar em conta quão rápido o aquecimento global vai ocorrer. Segundo, é bastante simples entender que o dano econômico será maior no longo prazo com o aumento de temperaturas, mas é menos certo o que isto irá custar, e quando. O cálculo tem de ser feito na interrelação desta gama de possibilidade, desde o ligeiro ao catastrófico. E como estas estimativas se comparam às dos governos? "Nossa reanálise, incluindo estes fatores, mostra que o custo social do carbono podem ser muito mais altos que U$ 21 por tonelada. No pior cenário, seriam de U$ 900 em 2010, chegando a U$ 1500 em 2050. Se os custos são tão altos, então vale a pena fazer qualquer coisa que reduza as emissões". Em termos de políticas, os autores concluem que o custo social do carbono é igual ou maior do que poderia ser viavelmente gasto na redução de emissões. "É inequivocamente menos caro reduzir emissões de gases estufa do que sofrer os danos da mudança do clima", afirmam eles, de acordo com o Miller-McCune.

Foto: Creative Commons

Leia mais:

Custos do aquecimento global em debate

* Analgésico pode aliviar sintoma de demência, conclui estudo

Experimento demonstrou que pacientes que tomaram remédio para dor em vez de drogas antipsicóticas ficaram menos agitados

Muitos pacientes com demência atualmente tratados com medicamentos antipsicóticos poderiam se beneficiar mais de tratamentos à base de simples analgésicos, indica um pequeno estudo.

Especialistas britânicos e noruegueses concluíram que remédios para dor diminuíram significamente sintomas como agitação e comportamento agressivo, comuns em pessoas que sofrem da condição.

Tendo em vista os resultados do trabalho, a Alzheimer's Society - entidade britânica que promove pesquisas sobre várias formas de demência e oferece suporte a pacientes e profissionais - quer que os médicos passem a considerar outros tratamentos para aliviar esse tipo de sintoma em seus pacientes.

Os autores do trabalho acreditam que a descoberta pode ajudar pacientes com demência a conviver melhor com a condição.

O estudo foi publicado no site da revista científica British Medical Journal (BMJ).

Comunicação

Segundo especialistas, anualmente, na Grã-Bretanha, cerca de 150 mil pacientes com demência que apresentam sintomas como agitação e agressividade são tratados com antipsicóticos.

Esses remédios têm um poderoso efeito sedativo e podem piorar os sintomas de demência, além de aumentar os riscos de derrames e morte.

Mas os pesquisadores do Kings College, em Londres, e da Noruega, suspeitavam de que os sintomas poderiam, em alguns casos, resultar de dor (que os pacientes, por causa de sua condição, teriam dificuldade em expressar).

Eles fizeram um experimento com 352 pacientes com demência grave ou moderada que vivem em lares para idosos na Noruega.

A metade passou a tomar analgésicos junto com as refeições, os outros continuaram a seguir o tratamento convencional.

Supervisão

Após oito semanas, o grupo que tomou analgésicos apresentou uma redução de 17% nos sintomas agitação e agressividade. Esse grau de melhora foi superior ao que se poderia esperar de tratamentos à base de antipsicóticos.

Os pesquisadores concluíram que, se a dor do paciente for tratada de forma adequada, os médicos poderão reduzir o uso de drogas antipsicóticas.

O especialista Clive Ballard, diretor de pesquisas da Alzheimer's Society e um dos autores do estudo, disse que as revelações são importantes.

"No momento, a dor é pouco tratada em pessoas com demência porque é muito difícil reconhecê-la", disse.

"Acho que (a descoberta) pode fazer uma grande diferença na vida das pessoas, pode ajudá-las a conviver melhor com a demência".

Ballard ressalta, no entanto, que analgésicos devem ser receitados sob supervisão médica.

A Alzheimer's Society está publicando novas orientações sobre o assunto, sugerindo a médicos que pensem muito antes de receitar antipsicóticos e que procurem receitar analgésicos.

A National Care Association - organização britânica que representa entidades que oferecem serviços a idosos e os usuários desses serviços - disse que o estudo ressalta algumas das complexidades da demência.

"A dor em si já é debilitante, então identificá-la como a causa da agitação e do comportamento agressivo é um grande avanço, que permitirá que cuidemos das pessoas de forma apropriada", disse a presidente da organização, Nadra Ahmed. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Fonte: BBC Brasil

* Haverá concurso para o INSS

Hoje, a presidenta Dilma autorizou, em caráter excepcional, a realização de um concurso público para o INSS.


Ainda não há data definida, mas a seleção vai rolar mesmo neste ano. De acordo com o Ministério da Previdência Social, todas as vagas serão abertas nas novas agências do Plano de Expansão da Rede de Atendimento (PEX).

A quantidade de vagas e os cargos serão definidos nos próximos dias por técnicos dos ministérios da Previdência e do Planejamento.

Ainda de acordo com o Ministério da Previdência, o Plano de Expansão, iniciado em 2009, prevê a implantação de 720 novas agências da Previdência Social em cidades com mais de 20 mil habitantes que não possuem unidades fixas prestando todos os serviços previdenciários. Desse total, 71 já foram inauguradas. Até o final de 2014, as 649 unidades restantes deverão ser entregues à população.

* Bill Gates quer criar um vaso sanitário melhor

Bill Gates, hoje em dia apreciando os elogios de seu trabalho filantrópico, percebeu que as privadas são ruins em países bem pobres. Para ajudar a impedir a transmissão de doenças contagiosas, ele se dispôs a gastar US$41,5 milhões em avanços para o vaso sanitário.

A Bill & Melinda Gates Foundation está preparada para dar esta quantia enorme de dinheiro para universidades que levarem os banheiros de países pobres para a era moderna. Eles não precisam ter iluminação ambiente nem mini-tablets. Em vez disso, eles precisam reinventar o conceito sendo sustentáveis, sem depender de ligação à rede de esgoto ou à eletricidade. As propostas trouxeram conceitos movidos a calor, micro-ondas e paineis solares, todos ajudando a prevenir infecções de bactérias e parasitas.

Algumas propostas, no entanto, parecem um pouco irreais. O vaso sanitário que transforma dejetos humanos em eletricidade usando micro-ondas, por exemplo: ele envolve gaseificar os excrementos usando plasma criado pelas micro-ondas. Como observa o Marginal Revolution, se um local conseguir dominar e manter essa tecnologia, então provavelmente eles já têm privadas comuns com descarga. Pelo menos a intenção é boa, e esta é apenas uma de oito ideias que já receberam apoio da fundação. Você pode conhecer as outras propostas aqui: [Gates Foundation

* Planalto gastará R$ 878.700 para polir mármore do piso

Após passar por uma reforma em 2009 e 2010, o Palácio do Planalto gastará mais R$ 878.700 para polir o mármore do piso dos quatro pavimentos. O edital de licitação para contratar a empresa que fará o serviço será aberto no próximo dia 1º de agosto. Esse gasto não estava previsto no orçamento das mudanças na estrutura do prédio realizadas durante o governo Luiz Inácio Lula da Silva, por um custo de R$ 103 milhões.

Por meio de sua assessoria, a Secretaria de Administração do Planalto informou que a retirada de paredes e salas durante a reforma expôs diferenças no piso, o que exigiu um polimento numa área total de 10 mil metros quadrados. A previsão é que o serviço fique pronto em quatro meses.

A Secretaria de Administração informou ainda que o palácio deverá passar por reparos. Neste caso, a empresa Porto Belo, responsável pela última reforma, arcará com os custos. Em novembro do ano passado, uma chuva alagou o subsolo, onde ficam as salas do serviço medico e de comunicações. A chuva também causou infiltrações em paredes dos pavimentos superiores.

Fonte: Agência Estado

* Pílula e injeções de hormônio aumentam chance de contágio pelo HIV

Métodos contraceptivos hormonais deixaram as mulheres mais expostas, mas ainda não está claro como os hormônios ajudam a espalhar o vírus


ATLANTA (AP) - Um estudo descobriu que as mulheres infectadas com o vírus HIV na África ficam mais propensas a infectar seus parceiros se estiverem usando métodos contraceptivos à base de hormônios.


Veja também:

Remédio anti-HIV feito com tabaco começa a ser testado na Grã-Bretanha

Europa propõe que pessoas com Aids deem assistência a novos infectados

Uso de antirretroviral por pessoas sadias reduz transmissão do HIV

As mulheres observadas no estudo tinham o dobro de chance de transmitir o vírus se estivessem tomando pílula ou injeções de hormônio, se comparadas com aquelas que não utilizavam estes métodos para não engravidar. A pesquisa é a primeira a focar nesta questão, de acordo com Renee Heffron, da Universidade de Washington, que participou da pesquisa.

O estudo também mostrou que mulheres sem o vírus tinham o dobro de chance de serem infectadas com o HIV de seus parceiros se usassem a contracepção a partir de hormônios, se comparadas com aquelas que não usavam.

Os pesquisadores checaram se não havia diferenças significativas no uso de camisinha, comportamento sexual ou outros fatores que poderiam interferir no resultado. A pesquisa foi apresentada nesta quarta-feira durante a 6ª Conferência da Sociedade Internacional de Aids (IAS), em Roma.

Os pesquisadores disseram que as descobertas ainda precisam ser confirmadas com novos estudos, e não devem fazer as mulheres trocarem imediatamente o método contraceptivo que usam.

O aumento do risco de infecção pelo HIV também deve ser avaliada frente as consequências da gravidez indesejada, que na África pode incluir complicadores como a mortalidade materna e a miséria, eles explicaram.

"A contracepção é incrivelmente importante para o desenvolvimento econômico e social de mulheres e crianças no mundo todo", disse Dr. Jared Baeten, outro pesquisador da Universidade de Washington que participou do estudo.

As injeções de hormônio liberam progestina, que impede os ovários de liberarem os óvulos e também estreita o endométrio do útero. As pílulas contém progestina ou progestina e estrogênio e funcionam da mesma forma.

Ainda não está claro como os hormônios ajudam a espalhar o vírus, mas o risco já foi observado em estudos anteriores. Um estudo no Quênia mostrou um aumento na células infectadas pelo HIV no tecido cervical depois que mulheres começaram a usar vários métodos contraceptivos hormonais.

O novo estudo foi realizado entre 2004 e 2010 em sete países da África: Quênia, Uganda, Ruanda, Botswana, Zâmbia, Tanzânia e África do Sul.

Ele incluiu quase 2.500 mulheres com HIV com parceiros não infectados. Cerca de um terço delas usou um método contraceptivo hormonal pelo menos uma vez. A maioria delas tomou a injeção, que é administrada uma vez por mês.

Os homens tinham 2,61% de chance de serem infectados no período de um ano se suas parceiras utilizavam um método contraceptivo hormonal. Se não fosse o caso, as chances de infecção eram de 1,51%.

A equipe de pesquisadores também observaram cerca de 1.300 casais nos quais apenas os homens tinham o vírus. Cerca de 20% das parceiras usavam algum método contraceptivo hormonal, a maioria tomava as injeções.

O estudo descobriu que estas mulheres tinham 6.6% de chance de serem infectadas pelo vírus HIV no período de um ano enquanto aquelas que não usavam este tipo de método tinham 3,8% de chance de serem infectadas.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

* MORADORES DA CIDADE DOS PALMARES EM PERIGO COM OBRAS DA BR-101


Obras da duplicação da BR-101 no trecho urbano entre o Bairro Santa Rosa e o Bairro Newton Carneito, na Cidade dos Palmares - PE, onde há residências de um lado e do outro da rodovia. Vários quilômetros sem passarelas!
 MUITA VERBA DA BR-101 DESVIADA COMO PROVAM AS NOTÍCIAS DA QUEDA DO MINISTRO DO TRANSPORTE E EM PALMARES HÁ EXEMPLOS DOS ABSURDOS DA OBRA FEDERAL. VEJAM E DIVULGUEM:
MORADORES DE BAIRROS ÀS MARGENS DA BR-101 EM PALMARES EM PERIGO!


Vários acidentes ocorreram às margens da BR-101, no trecho que margeia a Cidade dos Palmares.

Com a duplicação da Rodovia, piorou dificuldades para travessia na duplicação da BR-101.

A colocação de um paredão no meio da rodovia, entre as vias de tráfegos de veículos dificultando passagens de pedestres de um lado para o outro.

A rodovia atravessa áreas urbanas da Cidade dos Palmares em todo o trecho dos Bairros de Nova Palmares até Japaranduba!

Povo de Palmares-PE reivindica passarelas para pedestres na BR-101


Faltam passarelas. Somente fizeram 2 passarelas: uma defronte à entrada da Faculdade FAMASUL (conectando o Bairro de Nova Palmares até a entrada que leva à Rádio Cultura dos Palmares e FAMASUL/FACIP); e 1 perto da entrada de acesso ao Colégio Agrícola dos Palmares, perto da estrada de aceso à Cidade da Água Preta e Litoral Sul pernambucano e alagoano. Áreas de quilômetros ficaram sem passarelas: Sem acessos ao outro lado da BR-101 todo o Bairro de Santa Rosa (que permitisse atravessar a rodovia até bairro do lado do Engenho São Manoel, onde há postos de gasolina, HOtel Poetas dos Palmares, conjuntos residenciais); Sem acessos os bairros Novo Quilombo (casas construídas para os desabrigados das enchentes) e Quilombo dos Palmares (ambos lá em Paul) e nesse trecho tem de um lado a Delegacia de Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Velório Municipal, Companhia de Trânsito e do outro lado, além dos novos bairros, tem o Tribunal de Contas Regional e o novo Fórum Eleitoral e o novo Hospital Regional que fica bem mais além das casas novas construídas; sem acesso de travessia os pedestres que queiram ir para o casarão do Engenho Paul e Granja de Maninho Rodrigues e Paul Velho, já bem distante após viaduto; sem acessos de travessia pedestres que queiram atravessar a BR-101 para o novo Bairro construído em Japaranduba (também de casas para desabrigados das enchentes, local onde também estão contruindo o novo Fórum, novo Colégio Municipal, Gerência Regional de Educação e outros prédios para repartições públicas).

Além disso, retornos e desvios para veículos no trecho urbano que envolve a BR-101 na área da Cidade dos Palmares são de difícil acesso.
Quem pega taxi para ir ao Hospital Regional, local de suma importância, paga no mínimo 30 Reais devido ao percursos que o automóvel tem que percorrer (numa região de baixo nível aquisitivo da maior parte da população, essa obra da duplicação da BR-101 que prometia melhorar a vida de todos, apenas piorou por aqui).
Para evitar todo esse percurso em busca de retornos e acessos para o outro lado da cidade cuja rodovia BR-101 brutalmente prejudicou acessos, no Projeto deveriam ter incluído, além de mais passarelas, viadutos que facilitassem os carros a atravessar mais rapidamente para o outro lado!
Não houve planejamento para facilitar acessos do povo carente àquele Hospital! Poder Legislativo da Cidade dos Palmares precisa agir!
As ONGs precisam agir!

Acidentes e atropelamentos de pedestres na BR-101 Palmares-PE registrados.

Atropelamentos de pedestres e acidentes automobilísticos ocorrendo constantemente, como hoje houve acidente que tirou a vida de Luiz Carlos, ex esposo de Isabel (assessorou Secretaria de Educação Municipal).

Caos no trãnsito e os pedestres em perigos terríveis.

Governos Federal e Estadual sem cuidar da segurança dos transeuntes dessas áreas. E todos os cidadãos que não têm condições de pagar transportes em periclitantes situações.

Vemos um total falta de planejamento na construção da BR-101 no que concerne à segurança dos pedestres. Tanto dinheiro público envolvido, escândalos de desvios como sabemos denúncias contra Ministro dos transportes e assessores pelos desvios e demais absurdos envolvendo construções de rodovias federais!

E em nossa Cidade, não vemos ações legislativas para resolver esses problemas cruciais aturdindo nosso Cidadãos.

São nossos impostos, nosso dinheiro que deveriam ser usados em prol do nosso bem estar, jogados nos esgotos da politicagem e demagogia!

É necessária medida urgente das comunidades, direcionando ao Ministério Público ações exigindo as passarelas!
Cobremos ações dos legisladores (Deputados e Vereadores) que deveriam defender os interesses do nosso povo. Até agora não soubemos de nenhuma ação deles sobre a implantação dessas passarelas. Na Assembléias Legislativa Estadual de Pernambuco temos 3 Deputados eleitos que se dizem da nossa Região: João Fernando Coutinho (Município da Água Preta), Clodoaldo Magalhães (Município dos Palmares) e Rildo Braz (Município de Catende). E outros tantos que perambularam aqui pescando votos para o Congresso Federal prometendo defender nossa Região (onde eles estão atualmente após eleições?).
Cobremos deles!

É caso de riscos de vidas!

Unamo-nos nessa luta!

* Denise Stoklos abre programação teatral adulta do FIG 2011 nesta sexta

“É quase como uma estreia”, foi o que disse por telefone Patrícia Torres, a produtora da atriz e diretora Denise Stoklos, também assistente de direção no mais novo espetáculo da criadora do Teatro Essencial (corpo, voz e intelecto em evidência), até então só visto uma única vez no Festival Internacional de Teatro de Curitiba deste ano. Com título provocante, Preferiria, Não? é o 27º espetáculo desta elogiada artista com 42 anos de carreira e peças já representadas em 30 países, sucessos como Calendário da Pedra, Desobediência Civil (ambas já vistas em Garanhuns), Vozes Dissonantes, Des-Medéia e Denise Stoklos in Mary Stuart. A montagem terá sessão única nesta sexta-feira, 15 de julho, às 19h, no Teatro Luiz Souto Dourado, abrindo a programação de teatro adulto do 21º FIG. Os ingressos gratuitos podem ser retirados na bilheteria, das 9 às 12h e das 14 às 17h.

Com esta “quase inédita” obra, Denise Stoklos, paranaense radicada em São Paulo, propõe uma discussão sobre as imposições da sociedade de consumo frente às necessidades e desejos individuais. Assinando texto, direção, adaptação, coreografia e sonoplastia, nesta nova montagem ela traz como referência Bartleby, um personagem célebre da literatura moderna, do conto Bartleby, o Escriturário, de Hermam Melville, escritor, poeta e ensaísta norte-americano, quando ele recusa-se a cumprir as ordens de seu chefe. A partir daí, vivendo uma espécie de herói em eterna contramão, são apresentadas diversas situações para as quais preferiríamos dizer não e que nos condenam a algum tipo de morte, principalmente a social. Preferiria, Não? certamente vai destilar interrogações.

* Justiça cassa mandato de político acusado de manter curral eleitoral

A Justiça cassou, pela primeira vez no Brasil, o mandato de político que mantém centro social na base eleitoral. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio impôs a pena ao deputado estadual Domingos Brazão (PMDB-RJ), que foi cotado para assumir a presidência da Assembleia fluminense neste ano, segundo a Folha de São Paulo.
 
Ele foi acusado pelo Ministério Público por abuso de poder econômico nas eleições do ano passado.Segundo a Procuradoria, o oferecimento gratuito de remédios, atendimento médico e cursos do Centro de Ação Social Gente Solidária, vinculado ao deputado, criava um "curral eleitoral, com prática de assistencialismo.

* Homenagem a Lula Côrtes na abertura do Festival de Inverno

Antigos parceiros cantaram juntos lembrando o artista falecido no início do ano



Publicado em 15/07/2011, às 00h24


Do JC Online


"Toda alma tem a missa que merece”. Foi assim que Roger de Renor anunciou o início do tributo ao artista Lula Côrtes, que marcou a noite de abertura do Festival de Inverno de Garanhuns, na noite desta qinta-feira, por volta das 22h30.


Depois de uma série de fogos cruzarem o céu da Esplanada Guadalajara, começou o show em homenagem ao guru da música pernambucana, falecido no início do ano. A praça não chegou a ficar completamente lotada para a apresentação, mas já havia movimentação na cidade desde o início da noite. O 21º FIG segue com programação intensa durante toda esta sexta.


Na homenagem ao guru, a banda Má Companhia mostrou a música Tarja preta, que daria nome ao próximo trabalho do grupo junto com Lula Côrtes. Tito Lívio se emocionou no palco ao cantar Desengano, canção feita em parceria com Lula Côrtes.


Dom Tronxo, um dos grandes parceiros de trabalho de Lula Côrtes, cantou Dos inimigos. Ortinho também passou pelo palco cantando Onde estão as flores, com a Má Companhia, em homenagem ao multiartista. A apresentação chegou ao fim com todos os convidados da homenagem reunidos no palco.

* Paulínia consagra 'Febre do rato', do pernambucano Claudio Assis

Longa recebeu oito prêmios em festival paulista; 'O palhaço' deu a Selton Mello a vitória na categoria melhor diretor

O longa-metragem "Febre do rato", de Claudio Assis (foto ao lado), foi o grande vencedor do Paulínia Festval de Cinema de 2011. Na premiação realizada na noite desta quinta-feira (14) em Paulínia, interior de SP, a produção do cineasta pernambucano de "Amarelo manga" e "Baixio das bestas" venceu em oito categorias, entre elas a de melhor filme de ficção, pela qual recebeu prêmio de R$ 250 mil.



Irandhyr Santos (foto 2) e Nanda Costa receberam os prêmios de melhor ator e melhor atriz também por "Febre do rato". O longa, sobre um poeta anarquista que publica um tabloide com recursos próprios, dominou ainda as categorias técnicas, vencendo por fotografia, montagem, direção de arte e trilha sonora. "Febre do rato" foi também o favorito do júri da crítica.



"O palhaço", dirigido por Selton Mello, foi outro longa que saiu consagrado no festival. Estrelado pelo ator Paulo José e pelo próprio Selton, o filme ganhou quatro prêmios: direção, roteiro, ator coadjuvante (Moacir Franco) e figurino.



Segundo o voto popular, o melhor longa de ficção exibido em Paulínia foi "Onde está a felicidade", de Carlos Alberto Riccelli, que também garantiu o prêmio de atriz coadjuvante para Maria Pujalte.



O melhor documentário segundo o júri da competição foi "Rock Brasília - era de ouro", de Vladimir Carvalho. Para o público, o melhor foi "Uma longa viagem", de Lucia Murat.



Confira abaixo a lista completa de vencedores do Paulínia Festival de Cinema 2011:



Melhor Filme Ficção (R$ 250 mil) - "Febre do rato", Claudio Assis

Melhor Documentário (R$ 100 mil) - "Rock Brasília – era de ouro", Vladimir Carvalho

Melhor Diretor Ficção (R$ 35 mil) - Selton Mello, "O palhaço"

Melhor Diretor Documentário (R$ 35 mil) - Maíra Buhler e Matias Mariani, "Ela sonhou que eu morri"

Melhor Ator (R$ 30 mil) - Irandhyr Santos, "Febre do rato"

Melhor Atriz (R$ 30 mil) - Nanda Costa, "Febre do rato"

Melhor Ator Coadjuvante (R$ 15 mil) - Moarcir Franco, "O palhaço"

Melhor Atriz Coadjuvante (R$ 15 mil) - Maria Pujalte, "Onde está a felicidade?"

Melhor Roteiro (R$ 15 mil) - Selton Mello e Marcelo Vindicatto, "O palhaço"

Melhor Fotografia (R$ 15 mil) - Walter Carvalho, "Febre do rato"

Melhor Montagem (R$ 15 mil) - Karen Harley, "Febre do rato"

Melhor Som (R$ 15 mil) - "Trabalhar cansa", Gabriela Cunha, Daniel Turini e Fernando Henna

Melhor Direção de Arte (R$ 15 mil) - Renata Pinheiro, "Febre do rato"

Melhor Trilha Sonora (R$ 15 mil) - Jorge Du Peixe, "Febre do rato"

Melhor Figurino (R$ 15 mil) - Kika Lopes, "O palhaço"

Especial do Júri (R$ 35 mil) - "Trabalhar cansa"



Curtas Regionais

Melhor Filme (R$ 25 mil) - Diego Costa, "Argentino"

Melhor Direção (R$ 15 mil) - Diego Costa, "Argentino"

Melhor Roteiro (R$ 10 mil) - Cauê Nunes e Maurício de Almeida, "3 x 4"



Curtas Nacionais

Melhor Filme (R$ 25 mil) - Carlos Nader, "Tela"

Melhor Direção (R$ 15 mil) - Gabriela Amaral Almeida, "Primavera"

Melhor Roteiro (R$ 10 mil) - Gustavo Suzuki, "O pai daquele menino"



Júri Popular

Melhor Longa Ficção (R$ 25 mil) - Carlos Alberto Riccelli, "Onde está a felicidade?"

Melhor Documentário (R$ 15 mil) - Damià Puig, "A margem do Xingu – vozes não consideradas"

Melhor Curta Nacional (R$ 5 mil) - Thiago Luciano, "Café turco"

Melhor Curta Regional (R$ 5 mil) - Diego Costa, "Argentino"



Júri da Crítica

Melhor Longa Ficção - Claudio Assis, "Febre do rato"

Melhor Documentário - Lucia Murat, "Uma longa viagem"

Melhor Curta Nacional - Carlos Nader, "Tela"

* Brasil quer reservas para proteção de baleias no Atlântico Sul

Criar grandes zonas protegidas onde as baleias possam viver sem medo de arpões, mesmo que a moratória vigente sobre a caça de cetáceos seja suspensa, é o objetivo de países como Brasil e Argentina, conscientes de seu potencial turístico.

Durante a reunião anual da CBI (Comissão Baleeira Internacional), que ocorre até quinta-feira na ilha de Jersey, Brasil e Argentina colocaram novamente na agenda do dia um projeto de refúgio para o Atlântico Sul, que se somaria a duas grandes reservas já existentes, no oceano Índico (desde 1979) e no oceano Austral (1994).

"A finalidade de uma reserva é fortalecer a moratória. Se um dia ela se abrir, serão conservadas grandes porções de oceanos fechadas à caça comercial", explica Vincent Ridoux, membro do comitê científico da CBI, a única instância de gestão dos grandes cetáceos.

No entanto, há poucas probabilidades de que esta proposta seja adotada neste ano. "Isso faz parte das coisas que os japoneses rejeitam sistematicamente", destacou Ridoux, membro da delegação francesa em Jersey.

O Japão continua capturando todos os anos pequenos rorquais na reserva do oceano Austral, no âmbito de sua caça chamada científica, diante da ira dos defensores dos cetáceos.

Para nós, o mais importante é enviar um sinal político e conservar o tema na agenda do dia", destacou o responsável da delegação brasileira, Marcus Paranagua.

ESPÉCIES BENEFICIADAS

Uma reserva no Atlântico Sul seria útil para "ao menos sete espécies, entre as quais encontram-se a baleia azul, a baleia jorobada, a baleia franca e o rorqual comum", segundo Javier Rodríguez, professor de biologia da Costa Rica e fundador da Fundação Promar.

A criação de uma nova grande reserva no Atlântico Sul, cujo trecho iria do Equador até os limites do oceano Austral, permitiria sem dúvida proteger de forma mais eficaz as baleias que percorrem milhares de quilômetros.

"A baleia jorobada, por exemplo, passa sua temporada de reprodução nas águas quentes, e depois sua temporada de alimentação nas águas frias, o que significa que o refúgio do oceano Austral não é suficiente para esta espécie", explicou Willie McKenzie, militante britânico do Greenpeace.

"Ao criar uma reserva maior, você protege todo o ciclo vital da baleia", acrescentou.

Além da simples preservação das baleias, o "objetivo dos países sul-americanos, apoiados pela África do Sul", é também "desenvolver uma atividade turística sobre uma população de baleias com boa saúde", lembrou Vincent Ridoux, referindo-se à observação destes cetáceos.

Para muitos países que não são caçadores, as baleias permitem em primeiro lugar atrair os turistas.

Segundo um estudo, o primeiro deste tipo, apresentado durante a reunião da CBI em Agadir, em 2010, esta atividade poderia arrecadar potencialmente US$ 3 bilhões anuais e criar 24 mil empregos no mundo.

Esta perspectiva também explica a razão de, regularmente há cerca de dez anos, os sul-americanos apoiarem este projeto, que para ser adotado deve obter a aprovação de três quartos dos 89 membros da CBI.

Não há dúvida de que voltará a se falar da reserva do Atlântico Sul no próximo ano, durante a próxima sessão da CBI, que será realizada no Panamá.


Fonte: France Presse

Data: 14/7/2011 16:49:51

* Começa nesta sexta (15) Convenção Internacional de Quadrinhos

Começa nesta sexta-feira (15), e vai até domingo (17), a Convenção Internacional de Quadrinhos de Curitiba (Gibicon nº0). Palestras, oficinas, lançamentos de livros, sessões de autógrafos e exposições de artistas gráficos fazem parte do evento, que é inédito no sul do Brasil.

Quadrinistas internacionais e brasileiros estarão presentes na convenção, que, segundo a organização do evento, é uma amostra do que será planejado para o aniversário de 30 anos da Gibiteca de Curitiba, em 2012.

As atividades são gratuitas e acontecerão no Memorial da Curitiba, Solar do Barão, Sesc Paço da Liberdade, Instituto Goethe, Aliança Francesa, Instituto Cervantes e Joker’s Pub. Os artistas e a programação completa podem ser encontrados no site da Gibicon nº0.