domingo, 14 de julho de 2013

* Guaranis Kaiowá sofrendo extermínio! Solidariedade aos irmãos índios!

LIBERDADE AOS PARENTES!!!!
E O DIREITO SAGRADO DE VIVER NA TERRA DE SEUS ANCESTRAIS!!!

História

Na década de 1950, a população indígena que habitava originalmente os 9.700 hectares da TI Taquara foi removida pelo Serviço de Proteção ao Índio (SPI) e dispersa por várias localidades. Em 1999 alguns índios reocuparam uma fração do terreno (96,8 há), que faz parte da Fazenda Brasília do Sul. Os proprietários entraram no mesmo ano com ação de reintegração de posse, mas a Funai já havia iniciado estudos para demarcação.

Desde então, uma longa disputa judicial está em andamento. Se por um lado os órgãos de proteção aos índios tentam garantir a ocupação tradicional da terra, por outro, os proprietários da fazenda e o Estado de MS sustentam que, à época da aquisição do imóvel, não existia ocupação indígena no local. Após ingressar no STF, em 2010, o processo demarcatório foi suspenso. Agora, a Justiça Federal de Naviraí irá decidir pela validade da demarcação da TI Taquara.

As disputas entre índios e fazendeiros são marcadas pela violência. Em janeiro de 2003 o cacique guarani kaiowá Marco Veron foi brutalmente assassinado. Agressores contratados pelo fazendeiro dispararam e espancaram os indígenas. Veron, à época com 72 anos, não resistiu às agressões e morreu com traumatismo craniano. O caso ganhou repercussão internacional e foi o único homicídio de indígena no MS que teve julgamento e condenação.

do site do MPF-MS

Supremo considera reprovável a tentativa de retardar o processo demarcatório da Terra Indígena Taquara
Em decisão inédita, STF rejeita manobra do governo de MS contra demarcação de terras indígenas Justiça Federal de Naviraí deve decidir pela validade da demarcação da TI Taquara

O Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou o pedido do Estado de Mato Grosso do Sul para figurar como parte em processo que questiona a demarcação da Terra Indígena Taquara, em Juti. O Estado justificava a medida argumentando que, caso houvesse demarcação, seria ele o responsável pela indenização aos proprietários.

A Justiça Federal de Naviraí remeteu os autos ao STF em 2010, por considerar que, se o Estado fosse incluído no processo, haveria o chamado conflito federativo entre MS e a União, o que obrigaria o julgamento ser realizado pelo Supremo.

Na decisão, a ministra Cármem Lúcia entendeu que as tentativas do Estado de MS de ingressar em ações judiciais ao lado de proprietários rurais contra a União e a Funai forçam um “aparente conflito federativo”. Para a ministra, esta é uma “prática reprovável, prestante apenas a retardar a solução da controvérsia e a pacificação social que dela se espera”.

A partir de agora a ação volta a tramitar normalmente na Justiça Federal de Naviraí. O processo demarcatório da Terra Indígena Taquara, no entanto, continua suspenso até que haja uma decisão final.

Referência processual na Justiça Federal de Naviraí: 2005.60.06.000880-2

Referencia processual no Supremo Tribunal Federal: ACO 1606 e AC 2641

taquara

Aldeia Taquara foi palco da morte do líder indígena Marco Veron



Assessoria de Comunicação Social
Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul
(67) 3312-7265 / 9297-1903
(67) 3312-7283 / 9142-3976
www.prms.mpf.gov.br
ascom@prms.mpf.gov.br

http://uniaocampocidadeefloresta.wordpress.com/2013/05/01/em-decisao-inedita-stf-rejeita-manobra-do-governo-de-ms-contra-demarcacao-de-terras-indigenas/
 — com Rossana Rosa Guarani Kaiowá.



CONSTITUIÇÃO FEDERAL (CARTA MAGNA BRASILEIRA DE 1988).

ART. 231 § 5º - É vedada a remoção dos grupos indígenas de suas terras, salvo, ad referendum do Congresso Nacional, em caso de catástrofe ou epidemia que ponha em risco sua população, ou no interesse da soberania do País, após deliberação do Congresso Nacional, garantido, em qualquer hipótese, o retorno imediato logo que cesse o risco.

LIBERDADE AOS PARENTES!!!!
E O DIREITO SAGRADO DE VIVER NA TERRA DE SEUS ANCESTRAIS!!!

SOMOS TODOS "UM" UMA SÓ NAÇÃO!!!

Tupã yawê aracatu omehê peeme...
Deus vos dê também tempos felizes...

* Destaques deste domingo do Diário de Pernambuco 14 de Julho de 2013

* Reforma política na opinião dos Deputados e Senadores!

Reforma política na opinião dos parlamentares de PEO Diario procurou senadores e deputados federais do estado para saber o que eles pensam sobre os principais temas (DP/D.A Press)
O Diario procurou senadores e deputados federais do estado para saber o que eles pensam sobre os principais tema

* Castelinho preservado na Praia da Boa Viagem!

Centenário »Imóvel: Resistindo à era dos prédios

Publicação: 14/07/2013 09:54 Atualização:

Foto: Edifício Castelinho, na Avenida Boa Viagem (Reprodução da Internet)
Foto: Edifício Castelinho, na Avenida Boa Viagem


A Avenida Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, conta hoje com cerca de um terço da quantidade de casas que existiam há um século. À época, havia 60. Cem anos depois, apenas 21, a maioria da Aeronáutica, existem no local, algumas resistindo aos efeitos do tempo e à especulação imobiliária. Um passado que agoniza e corre o risco de ser sepultado caso os imóveis não ganhem novo uso e sejam engolidos pelos edifícios. 

No Pina, perto da Avenida Antônio de Góes, os imóveis de números 52 e 62 resistem. São construções com 50 anos que conservam traços originais. A casa 52 tem quintal. Os portões de madeira e o muro baixo, com menos de 1,5 metro de altura, parecem desafiar a insegurança. 

Conheça a história desse e de outros imóveis na edição impressa do Diario de Pernambuco deste domingo

* Resumos e capas de jornais deste dia 14 de Julho

RESUMOS DOS JORNAIS DE HOJE


14 de julho de 2013



Jornal do Commercio



Manchete: O inferno astral de Dilma
Nos últimos 50 dias, presidente enfrentou violentos protestos nas ruas, aumento da pressão dos aliados, desconfiança de parte do próprio PT e queda na popularidade. (Págs. 1 e 6 a 8)
Jovens já contam as horas para ver o papa
Chegada de Francisco ao Rio, dia 27, para a Jornada Mundial da Juventude, é muito aguardada. Custo do evento pode chegar a R$ 350 milhões. (Págs. 1, 13, 16 e 17)

------------------------------------------------------------------------------------

O Globo



Manchete: Invasão Americana - Brasil quer saber se EUA espionaram Forças Armadas
Ministério da Defesa investiga quais dados militares podem ter sido obtidos pela NSA

Acesso a comunicações diplomáticas também é investigado. Com programa espacial paralisado, país continua dependendo de tecnologia americana para monitorar seu próprio território com o uso de satélites

A revelação de que milhões de conversas por telefone e e-mail no Brasil foram alvo de monitoramento da NSA levou as Forças Armadas brasileiras a analisar se dados de interesse militar podem ter sido atingidos. O acesso a comunicações diplomáticas também está sendo investigado, relata José Casado. Na última década, o Brasil deixou de fazer investimentos que permitiriam desenvolver satélites próprios, mantendo a dependência dos EUA para captar imagens do território nacional, informa Roberto Maltchik. (Págs. 1, 34 e 35)

Décadas de Vigilância - Estudioso da história da NSA, James Bamford afirma que a América do Sul é espionada desde os anos 90. E diz que a agência é capaz de lançar ciberguerras, mas que é pouco eficaz contra o terrorismo.(Págs. 1 e 36)

Fotolegenda: Natureza Proibida
Campeão de biodiversidade e dono do maior número de áreas protegidas do mundo, o Brasil vive um paradoxo: seus parques nacionais são muitas vezes inacessíveis. Falta a infraestrutura básica, como caminhos sinalizados e guias treinados. E sobram restrições à visitação e dificuldades burocráticas. Anavilhanas (foto), cartão-postal da Amazônia, tem dois funcionários para 400 ilhas e nenhum guia de parque.(Págs. 1, 41 e 42)
Grandes obras do PAC estouram prazos
De 42 projetos lançados em 2007, 40 deveriam estar prontos, mas metade não foi entregue. Custo subiu R$ 100 bi. (Págs. 1 e 3)
Fatia de estatais engorda superávit
Para fechar as contas e atingir a meta fiscal, o governo está mais dependente dos dividendos das estatais. Desde 2007, o total quadruplicou, de R$ 6,9 bilhões para R$ 28 bilhões. (Págs. 1 e 27)
Tendência preocupante: Cresce número de cesarianas no SUS
A proporção de cesarianas (partos cirúrgicos) no SUS foi de 23,9% para 38,3% em 11 anos, reproduzindo modelo da rede privada. A OMS considera aceitável índice de 15%. (Págs. 1 e 11)
Ônibus faturam em outros setores
Empresários de ônibus têm participação em terminais rodoviários, agência de publicidade e no futuro VLT, além de venderem veículos do BRT para si mesmos. (Págs. 1 e 12)
CBF critica taxas nos estádios
O presidente da CBF, José Maria Marin, criticou o valor das taxas nos novos estádios e revelou que Felipão quer a nova Granja Comary como base na Copa. (Pág. 1 e Caderno Esportes)
Colunistas: Hélio Gaspari
Mercadante, o articulador do caos (Págs. 1 e 10)
Colunistas: Merval Pereira
Estudo analisa a causa dos protestos (Págs. 1 e 4)
------------------------------------------------------------------------------------

Um dos destaques é: Empresa alemã delata cartel em licitações no Brasil. http://folha.com/no1310864 O esquema, de acordo com a Siemens, seria para compra de equipamento ferroviário, além de construção e manutenção de linhas de trens e metrô em São Paulo e no Distrito Federal.

O Estado de S. Paulo


Manchete: Prefeituras inflam quadros com servidores sem concurso
Em quatro anos, foram criados nos 5.566 municípios do País 64 mil cargos comissionados, uma alta de 14%

Entre 2008 e 2012, os 5.566 prefeitos do País criaram 64 mil cargos comissionados – aqueles para os quais não é necessário concurso publico e costumam ser loteados por indicação política -, informam Daniel Bramatti e José Roberto de Toledo. No total, os prefeitos elevaram essas vagas em 14%. Com a abertura desses novos postos, o total de servidores municipais em cargos de livre nomeação chegou a 508 mil, segundo dados comp0ilados com base em informações do IBGE. Enquanto as prefeituras abriram as 64 mil vagas, o governo federal, no mesmo período, passava a abrigar 493 servidores não concursados a mais em seus quadros (aumento de 9%). O número de não concursados é 85 vezes maior na esfera municipal do que na federal (508 mil ante 5.930). Goiás concentra sete das dez prefeituras com maior porcentual de não concursados. (Págs. 1 e A4)

Vila Propicio, a campeã

O prefeito Waldilei Lemos (DEM) tomou posse em Vila Propicio (GO) e descobriu que 77% dos servidores eram comissionados, “um monte de cabos eleitorais”. (Págs. 1 e A4)

‘Brasil exigirá respeito à privacidade’, diz Bernardo
Reagindo a denuncia de que os EUA espionaram telefonemas, e-mails e os acessos a internet de cidadãos e empresas brasileiros, o governo vai levantar na ONU a discussão sobre a governança na rede mundial, disse ao Estado o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. Ele acrescentou que o País também vai investigar mais em infraestrutura de rede e garantir o livre uso da internet com respeito à liberdade individual. (Págs. 1 e A12)
Uma guinada na economia
Um dos pais do Plano Real, Arida defende uma mudança radical na economia, com menos intervencionismo, uma postura mais pró-mercado e esquecer o Mercosul. (Págs. 1 e B4)
Jornada adota redes sociais
A Jornada Mundial da Juventude usa a ferramenta certa para atrair seu público-alvo; as redes sociais. Voluntários, como Felipe Pinho, se revezam para atualizar Twitter e Facebook. (Págs. 1, A22 e A23)
18 são presos no Rio antes da visita do Papa. (Págs. 1 e A21)


Notas & Informações: Mais um tropeço econômico
A produção vai mal, o consumo fraqueja e o emprego industrial começa a ratear. (Págs. 1 e A3)
Reportagem especial: Há menos médicos que hospitais
Por falta de médicos, os 12 mil moradores de Barra do Ribeiro, no Rio Grande do Sul, deslocam se para outras cidades para se submeter a um simples raio X, embora o município tenha um hospital equipado há 13 anos. Dados mostram que a infraestrutura de saúde cresceu mais que o número de médicos no País. Em outras cicades, o problema se inverte: há médicos e falta equipamento.

(Págs. 1, A18 e A19)

Cervejaria ajuda na conta do táxi
Empresários discutem com o governo soluções para oferecer táxi mais barato para trazer de volta aos bares o consumidor que parou de sair por causa da bei Seca. (Págs. 1 e B9)
João Bosco Rabello: Dilma e a reforma ministerial
A reforma ministerial será feita para parecer como decorrência da saída de ministros para as eleições, e não como resultado da crise do governo. (Págs. 1 e A11)
João Ubaldo Ribeiro: O ritual do esperneio
A espionagem reinante será aperfeiçoada. A privacidade morreu, nada mais é segredo. Mas podemos continuar a espernear, por enquanto. (Págs. 1 e C5)
------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense

Manchete: Impasse sobre caças deixa espaço aéreo vulnerável
Em dezembro, os 12 aviões Mirages fabricados nos anos 1980 se aposentam, e o Brasil corre sério risco de ver seu território à mercê de invasões. O programa FX-2, conhecida novela de US$ 7 bilhões para compra de aeronaves modernas, se arrasta há 12 anos e seu último capítulo continua incerto. A disputa entre americanos (Boeing), franceses (Dassault) e suecos (Saab) para fornecer os aviões está acirrada. Enquanto isso, a presidente Dilma Rousseff ainda não acenou com a decisão sobre a aquisição bilionária. (Págs. 1 e 2)
Custo de Vida: Inflação trava crescimento
Motor da economia nos últimos anos, esse segmento da sociedade encara agora a alta dos preços e o endividamento exagerado. O Correio traz exemplos de brasileiros que enfrentam esse período de dinheiro curto.(Págs. 1 e 9 a 11)
Invasão irregular ameaça Palácio do Jaburu
(Págs. 1, 21 e 22)
------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas


Manchete: BH sem postura
Dez anos de falta de respeito às normas que regulamentam uso do espaço público na capital

Sancionado em 14 de julho de 2003, o Código de Posturas da cidade ainda enfrenta sérios problemas, sendo os principais as péssimas condições das calçadas e obstrução de ruas, passeios e quarteirões fechados. O Estado de Minas percorreu regiões e mostra os sacrifícios impostos aos pedestres, que, diante da impossibilidade de seguir em linha reta, são obrigados a andar no asfalto em meio ao tráfego.

De acordo com dados da Secretaria Municipal Adjunta de Regulação Urbana, infrações cometidas pela construção civil, estabelecimentos comerciais, oficinas
mecânicas, ambulantes e veículos, entre outros, resultaram em 33,4 mil autuações
desde 2012, média de 84 por dia. Em 2010, foram 30,8 mil e, em 2011, 32,2 mil, o que aponta crescimento de 8,4% em comparação com o ano anterior. (Págs. 1, 21, 24 e 25)

Frutas S/A: De Minas para mesas europeias
Manga, limão e banana são vedetes das exportações de frutas do estado. O maior consumidor é a Europa. Para agradar ao paladar estrangeiro e obter boa cotação no mercado, produtores se especializaram e modernizaram as lavouras. Próxima etapa é conquistar consumidores na Rússia e Oriente Médio. (Págs. 1, 12 3 13)
Trava social: Alta de preços inibe a ascensão à classe C
Inflação diminui ritmo de crescimento da camada social que chegou a ser o motor da economia no país. (Págs. 1 e 6)
Dinheiro de pontes sumiu
A Prefeitura de Paulistas, Vale do Rio Doce, é acusada de forjar processos licitatórios e embolsar R$ 4,2 milhões repassados pela União para a construção de 14 pontes, mas só deu início a quatro, uma delas a do Petrônio (acima). (Págs. 1 e 8)
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete: Pública ou Privada, a saúde em colapso
Falta de médicos e de estrutura no SUS, demora no atendimento dos planos particulares: todos se queixam do sistema no país. (Págs. 1, 4 e 6)
Sigla POP: Porque as PECs viraram bandeiras
Entenda o que são as propostas que pretendem atualizar a Constituição. (Págs. 1, 8 e 9)
No Congo: O general à frente de 20 mil homens
Gaúcho lidera força de paz em país mergulhado em conflito há 15 anos. (Págs. 1 e 18)
------------------------------------------------------------------------------------

Leia todo o jornal no link http://digital.opovo.com.br/



Leia Jornal Correio da Bahia completo em edição digital: http://www.correio24horas.com.br/correiodigital/



* Telles Júnior continua escanteado pelo Poder Dominante!

Dia 13 de Julho, aniversário de Telles Júnior.
Festejos programados no Centro Cultural do GRUCALP foram adiados devidos a atropelos diversos. E luto em homenagem ao artista Geraldinho Palmares (Sócio Honorário do GRUCALP), amigo que se foi deste mundo, dia 10, então Centro Cultural do GRUCALP com 3 dias de luto...
Será comemorado junto com os 40 anos de palco de Jaorish.

Telles Júnior, um artista abnegado, construtor cultural de Palmares – PE à dedicou mais de 40 anos de sua vida. Sempre tendo o GRUCALP como ponto de apoio e batalhão de lutas culturais.
Poeta, teatrólogo, dramaturgo, pintor, cronista, contista, escultor. Um artista que não quis brilhar nos grandes centros metropolitanos do Brasil e do mundo, porém suas obras foram levadas pelo mundo afora. 
Polêmico, questionador, crítico. Engajado em lutas sociais, era temido pelos politiqueiros por ser um formador de opiniões. E por esse motivo, recebeu muitas promessas de políticos que não foram cumpridas.

Telles Júnior terminou vida terrena em extrema depressão, diante das decepções sofridas com os falsos amigos e ingratidões.
Ajudou muitas pessoas com seus jeito acolhedor e educando aos jovens através da arte libertadora. 
Outro ano sem os detentores do poder municipal lembrar do Mestre Telles Júnior. Se a família do artista não lembrar, esses ditos "resgatadores da cultura" não lembram. 
O Museu Telles Júnior está abandonado. Criado pela família do artista preservando o atelier onde ele trabalhava. O desgaste diante do tempo, problemas de cupins danificaram o ambiente e atualmente está com obras provisoriamente expostas no Centro Cultural do GRUCALP. Não houve desamparo total porque verba foi adquirida de uma Emenda Legislativa na Assembléia Legislativa Estadual de Pernambuco, defendida pela Deputada Tereza Leitão - PT. Mas que precisaria do Governo Municipal trazer para a ONG GRUCALP. Durante 3 anos Direção do GRUCALP tentou resolver o assunto diante da assessoria do governo anterior de Palmares, omissa ao fato, mesmo com a documentação em mãos.
O descaso continua diante de "outras prioridades" seguidas pelas assessorias de cultura da Prefeitura Municipal.
Quem não buscou o estrelismo noutros rincões não tem vez, mesmo que sangre pela terra palmarina, enquanto a hipocrisia se ufana sob a sombra do culto interesseiro dos vultos famosos para terem "ibope" como afirmou recentemente um desses efêmeros assessores.
Jaorish, filho de Telles Júnior, escreveu um livro sobre o pai que está aguardando condições para publicação.

 

ZUMBÍ EM MEU CORPO
 (Telles Júnior)


A Liberdade é negra
neste mundo de negros destinos.
A Liberdade é ZUMBI,
Nos homens escravos ao toque de sinos.
No toque dos sinos
o som inda e o negro
pendurado nos brancos de cor.
É ZUMBÍ no desespero da luta,
renascendo em Palmares,
revivendo o QUILOMBO
no peito arfante.
-mocambo sangrento-
onde impera o reino do horror.

                   Meu peito é a Matriz onde canta ZUMBÍ,
                   sem toque de sinos, com imagens de Vida!
                   Meu estro é a Serra, onde o negro poeta
                   faz do verso a canção, a espada e a lança.
                   Meu peito ardente de homem e esteta,
                   de Palmares é um campo, onde a luta renhida
                   é um sonho de artista, alma irrequieta,
                   onde a Liberdade é visão de esperança.

Mocambos caídos...
                                      Quilombos morrendo...
                                      Palmares agonizando...
                                      Nas searas, nos campos,
                                      ZUMBÍ se matando
                                      pelos homens de cor!
                                      E os sinos tocando
                                      outras eras anunciam,
                                      com o branco escravo
                                      do branco senhor!
                                      O Artista é ZUMBÍ
                                      na senzala da Arte,
                                      com o pincel e a pena
                                      expressando uma dor.
                                      Os Séculos passaram
                                      com os sinOs tocando
                                      e ZUMBÍ se matando
                                      no Artista Sonhador.

Meu sonho de Artista, de ZUMBI é o sonho!
O som de minha voz, de ZUMBI é o grito!
Do meu peito, na Serra, está ZUMBI sempre aflito!
ZUMBÍ em minha carne, meus ossos, meu sangue,
É o Artista sofrido, cantando os pesares
De um povo em luta, exausto, exangue,
Às margens do UNA, no chão dos PALMARES!

Telles Júnior pintando em seu atelier GALERIA DE ARTE ZUMBÍ

Telles Júnior entalhando em seu atelier GALERIA DE ARTE ZUMBÍ

Telles Júnior autografando exemplares do livro "Assim Falou Telles Júnior", dia 13 de Julho de 1995, na Loja Maçônica Fraternidade Palmarense Nº1. Ao lado dele, o poeta Luiz Alberto Machado e Inês Koury.